Neste segundo post, mostraremos o formato consagrado para a elaboração de uma dissertação.

O formato consagrado de uma dissertação abrange a seguinte estrutura básica:

a) Introdução;

b) Desenvolvimento;

c) Conclusão.

Trataremos cada uma dessas estruturas nos próximos posts. Neste post começaremos a tratar a parte da Introdução.

 

Introdução

 

Ponto de partida do seu texto. O assunto deve ser apresentado de forma clara, mas ele deve ser apenas apresentado, como uma espécie de roteiro.

O assunto não deve ser explicado e nem argumentado aqui.

A introdução funciona como a epígrafe de uma lei ou como a chamada de um filme. Ela visa criar o frisson para o leitor, e informa a ele o que ele deve esperar.

Em textos de estudo de caso e parecer técnico, você poderá copiar a proposta apresentada pela banca (será abordado mais à frente).

Segundo Filemon Felix de Moraes, ao confeccionar a introdução de seu texto, você deve usar recursos que despertem o interesse do leitor, como:

  • Formular uma tese, que deverá ser discutida e provada pelo texto;
  • Lançar uma afirmação surpreendente, que será justificada ou refutada no corpo do texto;
  • Propor uma pergunta, cuja resposta será dada no desenvolvimento e explicitada na conclusão.

Aqui incluímos a ideia principal do texto vindouro. O leitor saberá o que lhe espera no resto do texto ao ler a introdução. Ele não deve ter dúvida do que ele lerá no restante do texto.

Normalmente, um parágrafo, com períodos curtos. Não há regra definida do tamanho do parágrafo. Isso depende do texto a ser introduzido. Mas quanto menor, melhor.

Nos próximos posts mostraremos várias maneiras de se fazer a introdução.

 

Resolva a questão

Você precisa estar logado para postar um comentário.



Pesquise por tags